segunda-feira, 27 de julho de 2009

mensagem!

Neste shabat contamos com a presença do Rosh Moshe Ben Yishai e sua Familia !

o Rosh Moshe nos trouxe palavras de Gratidão em sua mensagem "Deus é misericordioso conosco e nós somos como um vazo de barro, devemos estar preparados para sermos moldados "


shalom Shavuah tov!

Shabat em Ponta Grossa no dia 25/07 de 2009


Bem neste shabat o serviço de adoração estava muito animado, o grupo de louvores estava quase completo faltou apenas o chaver Davi que estava em prudentopolis!
a Kehila apesar do frio e da chuva estava quase cheia!

shavuah tov!
Venham nos visitar!

Lançado disco rígido de 1 Terabyte para notebooks


A fabricante norte-americana de discos rígidos Western Digital coloca no mercado esta semana o primeiro modelo com capacidade para 1 Terabyte de dados para uso em notebooks. Apesar voltado a dispositivos portáteis, o HDnão funciona em qualquer computador.

O WD Scorpio Blue, de 2,5 polegadas, tem 12,5 mm de altura, o que não é o padrão para discos da maioria dos discos para notebooks (9,5 mm). A fabricante indica seu uso em ¿laptops selecionados¿, desktops de pequeno porte e até mesmo dispositivos de armazenamento externo.

Além do disco de 1 TB, a WD vai oferecer um Scorpio Blue com 750 GB de armazenamento. Os discos têm taxa de transferência de dados de 3 gigabits por segundo.

Os dois modelos começam a ser vendidos esta semana nos Estados Unidos: a versão de 750 GB será vendida pelo preço sugerido de US$ 189,99; a de 1 TB virá configurada apenas em um disco externo USB My Passport Essential SE e vai custar US$ 299,99.

Irã promete atingir alvos nucleares de Israel se atacado


TEERÃ (Reuters) - A Guarda Revolucionária do Irã informou neste sábado que o país atacará as instalações nucleares de Israel se o Estado judaico fizer uma ofensiva contra a nação, afirmou a emissora de televisão estatal.

"Se o regime Sionista (Israel) atacar o Irã, iremos certamente atacar suas instalações nucleares com nossa capacidade de mísseis", afirmou Mohammad Ali Jafari, comandante supremo da Guarda, à emissora al-Alam.

A Guarda Revolucionária é o braço ideológico dos militares iranianos, com capacidades aéreas, marítimas e terrestres e uma estrutura de comando separada para unidades regulares.

Líderes iranianos frequentemente descartam falar sobre um possível ataque a Israel, dizendo que o Estado judaico não está em posição de ameaçar o Irã, o quinto maior exportador de petróleo do mundo. Eles dizem que o Irã responderá a qualquer ofensiva atacando alvos dos EUA e Israel.

"Não somos responsáveis por esse regime e tolices de outros inimigos. Se atacarem o Irã, nossa resposta será firme e precisa", afirmou Jafari à televisão estatal.

Estados Unidos, Israel e outros aliados do Ocidente temem que o Irã esteja enriquecendo urânio com o objetivo de produzir armas nucleares e não descartam uma ação militar caso a diplomacia não resolva a disputa. O Irã afirma que o programa tem apenas a meta de gerar energia.

Israel, que conhecidamente é a única força nuclear do Oriente Médio, tem repetidamente descrito o programa nuclear iraniano como uma ameaça à sua existência. O Irã se recusa a reconhecer o Estado judaico.

"SEM MEDO"

Jafari disse que Israel está ao alcance das armas iranianas. "Nossa capacidade de mísseis coloca todo o regime Sionista dentro do alcance de ataque do Irã", disse. "O regime Sionista é muito pequeno para ameaçar o Irã."

Especialistas dizem que o Irã raramente revela detalhes suficientes sobre seus novos equipamentos militares, tornando difícil determinar sua capacidade de ataque.

Israel acredita que um escudo de mísseis acordado com os EUA protegeria o país contra qualquer possível ataque,

Mas Jafari afirmou que tal escudo poderia proteger Israel apenas de uma "forma limitada".

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, afirmou em maio que o Irã testou um míssil que analistas de defesa dizem que pode atingir Israel e bases dos EUA no Golfo Pérsico. Washington disse que o teste foi um "passo na direção errada" para remover as preocupações sobre o programa nuclear do país.

Se atacado, o Irã tem repetidamente ameaçado fechar o Estreito de Hormuz, por onde passa cerca de 40 por cento do petróleo comercializado pelo mundo. Os militares dos EUA prometem evitar tal ação.

Ahmadinejad, que já afirmou que Israel deveria ser eliminado do mapa, foi reeleito em uma polêmica votação em 12 de junho, que espalhou as maiores revoltas internas no país desde a Revolução Islâmica de 1979

sexta-feira, 24 de julho de 2009

Termômetros de rua amanhecem com -6ºC em São Joaquim, Santa Catarina


FLORIANÓPOLIS - A manhã desta sexta-feira amaheceu gelada na Serra Catarinense. Às 6h, a mínima no estado foi registrada em São Joaquim, -4,5ºC. Nas ruas, porém, os termômetros marcavam -6ºC no mesmo horário, menor temperatura do ano em Santa Catarina.

O frio intenso desde a madrugada desta sexta-feira mantém a expectativa para a formação de neve nas próximas horas na região. De acordo com a Central RBS de meteorologia, as temperaturas próximas de zero grau Celsius e a possibilidade do avanço da umidade do litoral para a região dão condições para o registro do fenômeno no período da manhã.

Na faixa entre o Oeste e o Sul catarinense, as menores temperaturas no período variaram entre 0ºC e 5ºC. No litoral, Vale do Itajaí e Norte, as mínimas ficaram próximas de 10ºC.

À tarde, as máximas não sobem muito, chegando a 15ºC em Joinville, 14ºC em Blumenau, 13ºC em Criciúma, 10ºC em Chapecó e 8ºC em Lages.

A Central RBS de Meteorologia adianta que a onda de frio deve atingir seu auge no fim de semana, quando podem ser registradas as menores temperaturas dos últimos anos no estado.

A previsão indica a possibilidade do registro de mínimas de até -6ºC na Serra e 3ºC no Litoral, com condições de geada em diferentes regiões.

Serviço permite envio pelo Twitter de mensagens para o Muro das Lamentações


SÃO PAULO – O Muro das Lamentações, o mais sagrado lugar do judaísmo, agora, tem seu espaço de orações virtuais via microblog.

O perfil @TheKotel no Twitter permite que religiosos que moram longe de Jerusalém mandem suas preces em forma de tweets, a fim de serem impressas e inseridas entre as pedras.


Os pedidos podem ser públicos ou privados. Quem faz o serviço de entrega é o dono da idéia, Alon Nil, de 25 anos. Ele também criou um site, o Tweet Your Prayers, para informar os judeus como proceder para enviar suas mensagens religiosas ao local sagrado pelo Twitter.

Não é o primeiro website a imprimir e colocar as orações nas frestas das pedras de mais de dois mil anos de idade. O Western Wall Heritage Foundation, há alguns anos, recebe preces por fax e deposita no muro. A nova criação, porém, pode ser considerada a mais dinâmica, ou a única com limite de 140 caracteres.

Gratuito, o Tweet Your Prayers conta com o apoio de uma editora de livros com temática judaica, que anuncia nas páginas virtuais. Mas também encoraja doações para manter o projeto.

O Muro das Lamentações, na vida real, fica em Jerusalém, cidade do Estado de Israel que é reivindicada também por palestinos.

Foto de Hitler com líder palestino vira 'arma' de ministro israelense



A foto do ditador nazista Adolf Hitler com o líder palestino Haj Amin al-Husseini, em 1941



O ministro das Relações Exteriores de Israel, Avigdor Lieberman, enviou um comunicado para todas as suas embaixadas e diplomatas para que divulguem sempre que possível uma foto de um líder palestino com o ditador nazista Adolf Hitler.


A medida de Lieberman tem como objetivo tentar frear as frequentes críticas de países sobre os assentamentos judaicos em Jerusalém Oriental. A questão dos assentamentos é uma das principais que emperra o processo de paz entre israelenses e palestinos.


Na foto, Haj Amin al-Husseini, principal líder palestino dos anos 1920 e 1930, está sentado de frente a Hitler em um hotel de Berlim, segundo informa o governo israelense. A embaixada de Israel em Brasília já recebeu a imagem.

Haj Amin al-Husseini apoiou o governo nazista. Na época, ele, que havia sido exilado por conta da administração britânica no Oriente Médio, enviou através de comunicados por rádio para que exterminassem todos os judeus da região

Assentamentos

Conforme nota divulgada pelo Ministério das Relações Exteriores de Israel, um dos pontos que passa por críticas é com relação à tentativa de destruir um hotel, o Shepherd Hotel, no bairro árabe de Sheikh Jarrah, em Jerusalém Oriental.


O mesmo hotel foi construído por ordem de Al-Husseini nos anos 1930. Mas o local acabou sendo tomado pelo Exército britânico em seguida até que o governo europeu saísse da região, em 1948. Depois, passou a ser propriedade da realeza da Jordânia até a Guerra dos Seis Dias, quando foi tomado pelo governo israelense, em 1967. No local funcionou o Ministério da Justiça. De 1987 a 2002, passou a ficar sob cuidados da polícia de fronteira. Desde então, o local está abandonado.


Agora, segundo a imprensa israelense, o milionário americano Irving Moskowitz quer destruir o prédio e fazer casas no terreno.


A comunidade internacional, assim como a autoridade palestina, considera ilegais os assentamentos judaicos em Jerusalém Oriental. Israel, por sua vez, defende que a cidade é "indivisível" e "é e será sempre a capital eterna do povo judeu".


Lieberman faz parte de um partido ultranacionalista que ganhou força política nas últimas eleições parlamentares. Para muitos, seu posicionamento chega a ser racista. Ainda esse mês o ministro israelense visitou o Brasil.

Israel quer ajuda do Brasil para Irã suspender programa nuclear



BRASÍLIA (Reuters) - O ministro das Relações Exteriores de Israel, Avigdor Lieberman, ressaltou nesta quarta-feira a importância do Brasil na mediação do processo de paz no Oriente Médio e o potencial para convencer o Irã a interromper seu programa nuclear.

"O Brasil, talvez mais do que qualquer outro país, pode convencer os iranianos a parar seu programa nuclear e a convencer os palestinos a conversar diretamente conosco", disse Lieberman durante coletiva de imprensa no Brasil.

Após reunir-se com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e de encontro com o corpo diplomático brasileiro, Lieberman afirmou que a boa relação do Brasil com países árabes pode contribuir nas negociações de paz na região.

"O Brasil tem ótima relação com a Síria e com os palestinos e acredito que possa contribuir para esse diálogo direto entre Israel e seus vizinhos", disse o chanceler, fazendo questão de ressaltar sempre as boas relações do Brasil com os árabes.

O chanceler Celso Amorim, no entanto, defendeu a política externa de diálogo do país.

"O Brasil tem uma política de diálogo... O Brasil não dialoga só com quem concorda em tudo", disse Amorim.

A visita do ministro israelense é a primeira de um chanceler israelense ao Brasil desde 1987, quando o então ministro Shimon Peres esteve no país.

Segundo Lieberman, "há mal-entendidos e desentendimento entre Brasil e Israel talvez pela falta de diálogo direto entre os dois países". O chanceler, no entanto, não especificou.

"Nós estamos tentando ser mais atuantes na América do Sul, especialmente no Brasil", disse Lieberman.

Nem Amorim nem Lieberman deram detalhes sobre um possível papel de negociador do Brasil.

O Brasil é o primeiro destino de Lieberman na viagem de dez dias pela América do Sul. A embaixada informou que o objetivo da viagem do chanceler israelense é "enfatizar a importância que o Ministério de Relações Exteriores atribui à América Latina".

A viagem ao Brasil do presidente israelense, Shimon Peres, está prevista para novembro, e Lula deve retribuir a visita em 2010.

EUA advertem Israel por projeto de construção na Cisjordânia, diz jornal



Jerusalém, 24 jul (EFE).- Os Estados Unidos advertiram Israel com incomum contundência que seria "extremamente danoso e corrosivo" erguer construções na chamada zona E-1, entre Jerusalém e o bloco de colônias judaicas de Ma'aleh Adumim, informa hoje o jornal "Ha'aretz".


O projeto para a zona E-1 é polêmico porque, caso venha a se concretizar, cortaria a Cisjordânia em duas partes e romperia a continuidade territorial de um futuro Estado palestino.


Por pressões da comunidade internacional, em particular dos EUA, casas nunca foram construídas na zona E-1, que fica no nordeste de Jerusalém, embora o atual primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, tenha deixado claro durante a recente campanha eleitoral que queria pôr fim a esta situação.


"Conectarei Jerusalém e Ma'aleh Adumim através do bairro Mevasseret Adumim, E-1. Quero criar um anel contínuo de bairros judeus" em torno da cidade, disse Netanyahu em uma visita a Ma'aleh Adumim na qual abriu oficialmente sua luta pelo Executivo.


O plano consiste em erguer 3.500 casas, junto com shopping centers e pontos turísticos, que unam Jerusalém e Ma'aleh Adumim, o maior assentamento judaico na Cisjordânia, com mais de 30 mil habitantes.


Caso isso venha a ocorrer, Jerusalém estaria completamente rodeada por bairros judeus, o que a desligaria da Cisjordânia.


Neste ano, durante as negociações de formação do Governo, a imprensa local anunciou um acordo de Netanyahu com o partido de extrema direita Yisrael Beiteinu para construir na E-1, mas não há nada escrito neste sentido no pacto de Governo assinado pelas legendas.


Os atritos entre Israel e seu principal aliado, os EUA, aumentaram notavelmente desde a chegada ao poder do presidente americano, Barack Obama, que se nega a apoiar a construção e ampliação de assentamentos judaicos em Jerusalém Oriental e na Cisjordânia. EFE

quarta-feira, 22 de julho de 2009

Chinês se suicida após desaparecimento de novo iPhone



Um funcionário de uma empresa que fabrica iPhones na China suicidou-se após descobrir o desaparecimento de um protótipo do que seria a quarta geração do celular. Sun Danyong, 25 anos, trabalhava na Foxcom Technology, empresa que faz diversos produtos da Apple, localizada na cidade de Shenzhen, perto de Hong Kong, de acordo com a Associated Press.

Embora tanto a Apple como a Foxcom tenham confirmado o suicídio de Danyong, não foram fornecidos detalhes sobre as circunstâncias da morte, reportadas pelo Southern Metropolis Daily, um dos jornais mais populares da região.

Há enorme pressão sobre funcionários que lidam com novos produtos da Apple para manter um altíssimo nível de segredo sobre os gadgets, tradicionalmente lançados em meio a grande suspense e enorme agitação no mercado. A empresa também é alvo constante de jornalistas, consumidores aficionados pela marca e concorrentes que sempre tentam dar uma espiada no que a Apple tem de mais recente.

Danyong era responsável pelo envio de protótipos do iPhone para a Apple na Foxcom, que é há tempos uma das parceiras mais importantes da Apple. No dia 13 de julho, Danyong relatou a falta de um dos 16 exemplares da nova geração do celular que estavam com ele, segundo o jornal.

Amigos de Danyong contaram ao jornal que seguranças da empresa foram ao apartamento do rapaz e revistaram a residência. Segundo eles, Danyong teria sido detido e agredido pelos guardas. Na manhã de 16 de julho, ele pulou do 12º andar do prédio em que morava.

"Estamos tristes com a trágica perda de um jovem trabalhador, e estamos aguardando os resultados das investigações sobre sua morte", disse Jill Tan, porta-voz da Apple em Hong Kong. "Exigimos que os nossos fornecedores tratem todos os trabalhadores com dignidade e respeito", acrescentou.

A Foxcom disse, em comunicado, que o chefe da segurança, Gu Qinming, foi suspenso de suas funções e entregue à polícia. O jornal reproduziu declarações de Qinming afirmando que "jamais bateu" em Danyong. Contou que, após três agentes terem revistado o apartamento de Danyong sem encontrar o iPhone, o funcionário recebeu ordem de ir ao escritório do chefe da segurança no dia 15 de julho.

Qinming disse ao jornal que não acreditava na sinceridade do rapaz. "Fiquei agitado, apontei o dedo para ele e disse que ele estava tentando transferir a culpa", disse. A polícia local não quis dar declarações. As investigações prosseguem.

terça-feira, 21 de julho de 2009

Havdalá

A Havdalá neste fim de shabat foi ministrada pelos chaverin David e Mordechai...


shavuah tov

Shabat

Neste Shabat não contamos com a presença do nosso Rosh Moshe ben Yishai,
mas contamos com a presença de nosso zaquen Ailton, no qual nos trouxe a mensagem de shabat " Devemos pedir as coisas a Hashem com confiança em nossas palavras, devemos ter Fé no poder divino, tudo é possivel naquele que crêr (marcos 9:23).
devemos acreditar incondicionalmente nas palavras de Yeshua e acreditar que se nossa fé fosse do tamanho de um grão de mostarda nós moveriamos Montanhas."

shavuah tov!

Shabat em Ponta Grossa dia 18/07/2009


Neste Shabat tivemos o serviço de adoração, a principio pensei que apenas eu e o chaver Anderson iriamos ministrar os louvores, porem o chaver Eliel chegou a tempo dos louvores, o também o Chaver Davi.

Apesar de haverem poucas pessoas, o serviço de adoração estava muito animado!

shavuah tov!

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Astronautas da Apollo lamentam estado do programa espacial


CABO CANAVERAL, Estados Unidos (Reuters) - O investimento feito pelos Estados Unidos no programa espacial Apollo, que levou o homem à Lua 40 anos atrás, gerou dividendos expressivos, ao contrário da Estação Espacial Internacional, que custou 100 bilhões de dólares, disseram ex-astronautas daquele projeto na segunda-feira.

"Abrimos a porta para o futuro da exploração ao tocar outro corpo", disse Buzz Aldrin, segundo homem a pôr os pés na Lua, em entrevista coletiva a propósito do aniversário da missão.

Entre 1969 e 72, os EUA fizeram seis missões tripuladas à Lua. Depois desenvolveram os ônibus espaciais e, posteriormente, a estação espacial, um projeto ainda em construção, numa parceria de 16 nações. Os ônibus espaciais devem ser aposentados no ano que vem, e durante algum tempo a ida de tripulantes à estação ficará a cargo da Rússia.

"Gastamos muito dinheiro lá em cima a troco de quase nada. É quase um elefante branco", afirmou o comandante da Apollo 13, Jim Lovell. "Até que possamos realmente receber um retorno no nosso investimento naquele projeto em particular, terá sido dinheiro desperdiçado."

O projeto Apollo custou 25 bilhões de dólares (valores de 1969, não atualizados). O investimento consumiu 4 por cento do orçamento federal, mas segundo os astronautas gerou um retorno muitas vezes superior.

"Agora parecemos pensar que é demais colocar 0,6 por cento (do orçamento federal) no orçamento da Nasa", disse Walter Cunningham, da missão Apollo 7. "Isso na minha opinião é idiota. O investimento que fizemos na década de 1960 foi pago. Você tem o retorno desse investimento pelos 30 anos seguintes. Ele foi um motor da tecnologia que realmente ajudou a fazer de nós a força motriz econômica do mundo."

"Que investimento que estamos fazendo hoje que irá garantir que tenhamos esse tipo de retorno durante 30 anos? Não vejo isso por aí", disse ele.

Na opinião dos astronautas, falta uma meta inspiradora, uma força motivadora, como foi o objetivo de pisar na Lua para o projeto Apollo.

"Parar mim, exploração é ir a algum lugar aonde não se esteve antes", disse Aldrin, que defende um projeto da Nasa para ir a Marte, em vez de voltar à Lua.

Pelo atual plano espacial dos EUA, as prioridades são concluir a Estação Espacial, levar astronautas à Lua e só depois preparar a partir de lá viagens tripuladas a Marte e a outros destinos do Sistema Solar.

O presidente Barack Obama, que recebeu os astronautas na Casa Branca na segunda-feira, disse que a Nasa continuará com sua missão "inspiradora".

"É justo dizer que a pedra angular para a excelência na exploração e descoberta será sempre representada pelos homens da Apollo 11", disse ele no Salão Oval.

"Vocês inspiraram toda uma geração de cientistas e engenheiros que acabaram realmente provocando a inovação, a liderança, o empreendedorismo e a criatividade aqui na Terra."

Novo vice-presidente do Irã nega que tenha renunciado


TEERÃ - A polêmica escolha do presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad para a vice-presidência, Esfandiar Rahim Mashaie, negou as notícias de que havia renunciado ao cargo, segundo seu website (www.mashaie.ir). "Alguns sites da internet publicaram uma reportagem sobre a renúncia de Mashaie como vice-presidente, numa ação coordenada, com o objetivo de desacreditar o governo", diz o comunicado postado no site pessoal do vice-presidente. "Isso é uma mentira, e esses rumores foram disseminados pelos inimigos do governo", afirma o comunicado.



O canal de tevê estatal em inglês Press TV havia informado no domingo que Mashaie, um assessor direto de Ahmadinejad, tinha renunciado três dias depois de sua nomeação, fortemente criticada pela facção linha-dura da base de apoio do presidente reeleito.



Mashaie, cuja filha é casada com o filho de Ahmadinejad, é uma personalidade de estilo franco, que no ano passado ganhou a antipatia dos políticos linha-dura, incluindo o líder supremo aiatolá Ali Khamenei, ao dizer que o Irã é "amigo do povo de Israel". As informações são da Dow Jones.

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Conferência da Microsoft vira plataforma de lançamento do Windows 7


Nova Orleans (EUA), 16 jul (EFE).- A Microsoft deixou claro hoje, último dia da Conferência Mundial de Sócios da companhia, que está orgulhosa do Windows 7, versão do famoso sistema operacional que será lançada em 22 de outubro.


Reunidos em Nova Orleans, os principais executivos da empresa garantiram que os problemas que atrapalharam os primeiros passos do Windows Vista foram solucionados e que o futuro é mais que promissor.


Tanto a Microsoft como o setor de tecnologia apostam muito no Windows 7. Há motivos para isso. Um estudo divulgado ontem pela empresa de consultoria IDC mostrou que o lançamento do produto abrirá oportunidades de negócio de aproximadamente US$ 320 bilhões nos segmentos de hardware, software e serviços.


Apesar da crise, o executivo-chefe da Microsoft, Steve Ballmer, está confiante. Para ele, o momento é de oportunidade para o setor de tecnologia da informação (TI), em geral, e para a Microsoft, em particular.


"A melhor forma de produtividade é a inovação. Ironicamente, isso significa que, hoje em dia, o valor da TI como negócio é maior do que nunca. Que indústria vai produzir essa inovação? Esta", disse Ballmer no discurso que fez ontem na conferência.


A Microsoft está convencida de que o Windows 7 é tão bom e vai interessar tanto os consumidores que decidiu lançá-lo no mesmo dia em que serão inauguradas as lojas da empresa que competirão com as da Apple, anunciou ontem Kevin Turner, diretor de operações.


Por ora, o sistema operacional está sendo distribuído entre os fabricantes de computadores (como Dell, HP e Acer) para sua instalação nos PCs que estarão à venda nos próximos meses.


Numa entrevista à Agência Efe durante a conferência, Mike Nash, vice-presidente de Gestão do Windows, resumiu a satisfação da empresa com os resultados obtidos com as versões teste e RC (Release Candidate).


"Estou muito orgulhoso do Windows 7", afirmou Nash, sem hesitar um só segundo.


Segundo o executivo, o Windows 7 é diferente do Vista porque seus projetistas tiveram que "compreender as necessidades dos clientes e dos sócios" e "se certificar de que os aplicativos do Vista e do XP funcionariam" no novo sistema. "É nisso que estamos nos concentrando", disse.


Apesar de insistir que as pesquisas realizadas indicam que a má impressão causada pelo Vista logo após seu lançamento não corresponde à experiência real dos usuários, a Microsoft reconhece que cometeu erros, principalmente em questões de compatibilidade.


"Agora temos duas definições", declarou Nash. "A primeira é que um aplicativo é compatível quando quem o desenvolveu diz que é compatível. A segunda é que há vezes em que um aplicativo muito velho do XP não vai funcionar no Windows 7. Nosso trabalho é garantir uma nova versão desse aplicativo ou uma atualização que funcione com o Windows 7", disse.


O resultado, segundo a companhia, é que os sistemas equipados com Windows 7 funcionam da mesma maneira ou melhor que os que tinham Vista, a ponto de a nova família de microportáteis - mais conhecidos como "netbooks" - conseguir executar o novo sistema, o que não acontecia com o Vista.


Como exemplo, Nash disse que em sua casa todos os computadores, com exceção de um, há meses funcionam com as versões beta e RC do Windows 7, apesar de sua mulher ter "uma política muito severa quanto à não instalação de versões que não sejam as finais".


O que fez a mulher mudar de opinião, segundo Nash, foi a "simplicidade" do sistema.


"No geral, o melhor do Windows 7 é sua simplicidade. O Windows 7 simplifica os PCs. As respostas que tivemos sobre sua simplicidade são extremamente positivas. E minha mulher agora não consegue voltar ao Vista", destacou o diretor.

Palestinos disparam 1º foguete em 1 mês contra Israel


Jerusalém, 16 jul (EFE).- Milicianos palestinos dispararam hoje, a partir da Faixa de Gaza, um foguete de tipo Qassam contra uma comunidade rural no sul de Israel, o primeiro em aproximadamente um mês.


Fontes da Polícia israelense disseram que o foguete caiu em uma zona desabitada ao redor da comunidade rural de Sdot Hanegev, sem causar vítimas ou danos.


Nenhum grupo armado palestino assumiu até agora a autoria do ataque, mas, há poucos dias, as forças policiais do movimento islâmico Hamas informaram que tinham detido dois milicianos da Jihad Islâmica tentando disparar morteiros contra o território israelense.


Entre Israel e o Hamas, há uma trégua extraoficial desde que, em 18 de janeiro, terminou a ofensiva em Gaza, que custou a vida de cerca de 1,4 mil palestinos e 13 israelenses. EFE

Confronto entre ultra-ortodoxos e Polícia israelense chega ao 3º dia


Jerusalém, 16 jul (EFE).- Ultraortodoxos judeus enfrentaram a Polícia israelense pelo terceiro dia consecutivo para protestar pela detenção de uma mulher que deixou seu filho sem comer, e a abertura no sábado de um estacionamento em pleno centro da cidade.


Os distúrbios mantêm em alerta as forças policiais em todos os bairros ortodoxos de Jerusalém, em sua maioria na parte norte da cidade.


Segundo informações de fontes policiais à Agência Efe, os ataques de hoje tiveram como alvo patrulhas policiais, instituições de Governo e dependências municipais.


A tensão entre as autoridades e os ultra-ortodoxos começou há algumas semanas, devido à abertura de um estacionamento em pleno sábado, dia sabático, próximo ao bairro de Mea Shearim, mais emblemático da comunidade.


Porém, há três dias uma mãe ultra-ortodoxa foi detida sob suspeita de provocar inanição em seu filho de três anos. A criança, que chegou a pesar apenas sete quilos, está internada em um hospital de Jerusalém em estado grave.


A situação é fruto de supostos abusos cometidos pela mulher, que teria a síndrome de Munchaussen - em que a pessoa, de forma compulsiva, causa, provoca ou simula sintomas de doenças para obter atenção.


A mulher pertence à seita Naturei Karta, formada por judeus anti-sionistas que não reconhecem o Estado de Israel, e a Polícia teme que alguns ativistas deste grupo radical tentem sequestrar o menor.


A imprensa local divulgou hoje as primeiras fotos da criança, o que estimulou ainda mais os protestos dos ultra-ortodoxos. Um homem ficou ferido ao levar uma pedrada, e a Polícia comunicou a detenção de 30 religiosos judeus.


A Prefeitura, que calcula os danos em 40 mil euros, informou que a limpeza de lixo nessa área está suspensa por enquanto, pelo temor a mais ataques.


O prefeito de Jerusalém, Nir Barakat, interino há seis meses, tenta tranqüilizar os ânimos com a ajuda dos dirigentes ultra-ortodoxos. EFE.

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Seis entre 10 empresas não planejam adotar Windows 7, diz pesquisa


Seis dentre 10 companhias ouvidas em uma pesquisa não planejam usar o sistema operacional Windows 7. A justificativa da maioria delas é economizar capital, mas outras apontam preocupações com compatibilidade do sistema com aplicações existentes.

O Windows 7 será lançado pela Microsoft em 22 de outubro, mas já acumula críticas positivas, em contraste à decepcionante versão atual do sistema, o Vista.

Grande parte das mais de 1.000 empresas que responderam à pesquisa feita pela ScriptLogic Corp disseram ter decidido economizar por meio do corte de atualizações de software e estão sem recursos para adotar a versão mais recente do sistema da Microsoft.


A ScriptLogic Corp, que fornece ajuda a companhias no gerenciamento de redes Windows, distribuiu 20 mil questionários para administradores de tecnologia da informação com o objetivo de identificar a condição do mercado.

Muitas companhias rejeitaram o Windows Vista, considerando o produto como instável. Entre elas, a fabricante de chips Intel, parceira de longa data da Microsoft na produção de computadores pessoais, continuou com a versão XP.

Cautela no mercado

O levantamento descobriu que cerca de 60% dos entrevistados não planejam adotar o Windows 7, enquanto 34% instalarão o sistema até o final de 2010 e apenas 5,4% até o final deste ano.

Além disso, 42% citaram a "falta de tempo e recursos" como principal razão para evitarem o Windows 7.

A sondagem apontou ainda que 35% dos participantes já pulou atualizações anteriores ou adiou compras para economizar recursos.

Outros 39% dos entrevistados disseram estar preocupados com a compatibilidade do Windows 7 com aplicativos existentes.

A pesquisa citou Sean Angus, um técnico experiente do Middlesex Hospital, afirmando que vai esperar até a distribuição pela Microsoft do primeiro "service pack" do Windows 7.

"O departamento de TI precisa realizar testes para assegurar que os aplicativos que dependemos todo o dia, especificamente os sistemas de informação radiológica e programas financeiros, sejam compatíveis antes de adotarmos qualquer nova plataforma ou software em nossos 1.500 desktops", afirma Angus na pesquisa.

Empresa de aviação israelense é autorizada a operar no Brasil

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) autorizou a empresa de aviação israelense El Al Israel Airlines Limited a operar no Brasil. A decisão está no Diário Oficial da União desta quarta-feira.

A empresa vai operar serviços de transporte aéreo internacional regular de passageiros, carga e mala postal.

A Anac autorizou também a exploração do serviço aéreo a várias empresas agrícolas e de táxi aéreo. Entre elas, a gaúcha Aerodinâmica Aviação Agrícola Ltda, com sede em Erechim; a Agsafra Aviação Agrícola Ltda, de Mineiros, em Goiás; a Geotech Aerolevantamento S.A, do Rio de Janeiro; e Tomé Aviação Agrícola Ltda, de Porecatu, do Paraná. A autorização de funcionamento para a maioria delas é válida por cinco anos.

Contra Exército israelense, rabino permite uso de celular no shabat


Toda regra tem uma exceção. E a partir de agora os judeus ortodoxos que estão em assentamentos na Cisjordânia receberam permissão de um rabino para usar o telefone celular no shabat caso vejam movimentações das tropas israelenses.


Shabat é o dia de descanso e rezas dos judeus ortodoxos. Do pôr-do-sol de sexta-feira até o pôr-do-sol de sábado, os fiéis não podem andar de carro, acender luzes e trabalhar, entre outras limitações. O uso de telefone e computador também é vetado, assim como cortar o cabelo ou roer a unha.

A Cisjordânia é um dos pontos onde há mais conflitos para um eventual pacto de paz na região. Judeus ortodoxos montaram assentamentos e regularmente veem suas casas serem demolidas por forças militares israelenses.



Por isso, o rabino Dov Lior enviou um comunicado para seus seguidores permitindo o uso de celular nos dias de descanso. A intenção é fazer com que todos permanecem vigilantes.


“Na intenção de se manter aceso à destruição de nossas bases, as pessoas têm que se manter alertas e avisar sobre quando movimento suspeito das tropas”, diz o comunicado. “Se uma pessoa ver o movimento das tropas, uma pessoa pode usar o telefone, no shabat, para comunicar nossos ativistas, que irão checar a informação e dar instruções sobre o que deve ser feito”, completa o aviso.


Dov Lior é conhecido em Israel por suas posições racistas. Em 2005, ele pediu para que seus ex-alunos não respeitassem seus superiores no Exército para impedir o que chamou de “expulsão” dos judeus. Esse ano, ele voltou a aparecer ao dizer que os judeus estavam proibidos de contratar árabes ou mesmo vender propriedades para os árabes.

Nos Estados Unidos

Essa semana, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, indicou a líderes judeus norte-americanos que os EUA e Israel estão fazendo progressos em diminuir suas diferenças sobre a questão dos assentamentos israelenses na Cisjordânia ocupada.


Obama e o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, têm discordado publicamente sobre essa questão. Os Estados Unidos querem uma paralisação total das construções, demanda que abriu o mais sério racha nas relações EUA-Israel em uma década.


Israel cogitou a possibilidade de temporariamente reter o início de novos projetos de construção -- enquanto muitos continuam em andamento -- em resposta a alguns passos dados rumo a um acordo de paz regional, incluindo progresso na normalização das relações com alguns estados árabes.

terça-feira, 14 de julho de 2009

China proíbe eletrochoque para vício em web


PEQUIM - A China proibiu o uso da terapia de eletrochoque para o tratamento de viciados em internet, alegando que não está claro se o método é seguro e eficiente. O anúncio do Ministério da Saúde foi feito após o surgimento de notícias sobre um polêmico psiquiatra de Linyi, na província de Shandong, que havia submetido quase três mil adolescentes a descargas elétricas para eliminar seus supostos vícios em internet.

O governo chinês tem levado a cabo uma campanha contra o vício em internet há mais de um ano, preocupado com o tempo que os jovens passam nos cibercafés, que para as autoridades afeta os estudos e prejudica a vida familiar.

"A terapia de eletrochoque para curar o vício em internet (...) não tem fundamento em pesquisas clínicas e não há provas (de sua eficiência), portanto não é apropriada sua aplicação", diz o comunicado oficial publicado na página do ministério ( www.moh.gov.cn ).

O país mais populoso do mundo tem também o maior número de internautas, cerca de 300 milhões de pessoas segundo números do Centro de Informação chinês de redes online. Mais de 200 organizações oferecem tratamento para distúrbios relacionados a internet. Um dos fatores que contribui para o alto número de casos seria a forte cobrança dos pais.

O criador da "terapia de impacto elétrico" é o médico Yang Yongxin, conhecido como "Tio Yang". Ele dirige o Centro de Tratamento para Vício em Internet no Hospital Psiquiátrico de Linyi, onde os pacientes recebem drogas psicotrópicas e são submetidos ao eletrochoque. O custo do tratamento é de 5.500 yuanes (cerca de US$ 805) mensais.

Sob uma rígida metodologia militar e acompanhados pelos pais, os jovens são proibidos de ter qualquer contato com o mundo exterior e a maioria é internada à força, segundo o jornal "China Youth Daily". Nem "Tio Yang" nem seus seis colegas de trabalho tem formação como psicoterapeutas.

O tempo de navegação em casa e no trabalho dos internautas brasileiros aumentou 10,6% em junho frente ao mês anterior.


O tempo de navegação em casa e no trabalho dos internautas brasileiros aumentou 10,6% em junho frente ao mês anterior.

Entretanto o número de internautas que acessaram a rede mundial de computadores caiu no período, informou nesta terça-feira (14/07) a empresa de pesquisa Ibope Nielsen Online.

Leia também:

Segundo a empresa, o Brasil se manteve na liderança em tempo de navegação por pessoa, com 44 horas e 59 minutos em junho. Os Estados Unidos ficaram em segundo lugar, com 30 horas e 30 minutos, seguidos pelo Reino Unido (36 horas e 20 minutos) e a França (34 horas e 59 minutos).

Considerando apenas as pessoas com Internet em casa, o tempo de navegação subiu 8,1%, para 27 horas e 48 minutos, nível superior à máxima registrada em março deste ano.

Enquanto isso, o número de pessoas que acessaram a web de casa ou do trabalho no mês passado caiu 3,9%, para 33,2 milhões. No total, 44,5 milhões de brasileiros têm acesso à internet em pelo menos um desses ambientes.

Dentre os 40,2 milhões de internautas que possuem acesso à web em casa, apenas 25,6 milhões utilizaram o recurso pelo menos uma vez no mês passado.

A companhia prevê ainda que haja 62,3 milhões de brasileiros de 16 anos ou mais de idade com acesso à Internet seja no trabalho, em casa, escolas, bibliotecas ou lan houses.

Israel quer padronizar placas de trânsito em hebraico


O ministério dos Transportes de Israel divulgou nesta segunda-feira um plano para mudar as novas placas de trânsito do país para que sejam escritas apenas na língua hebraica.

Atualmente, as placas são escritas em inglês e árabe, além do hebraico.

Segundo representantes do ministério, a falta de uniformidade nos escritos "confunde" os motoristas.

Pelo novo plano, a palavra Jerusalém, por exemplo, atualmente identificada como "Jerusalem", em inglês, "al-Quds", em árabe, passará a ser identificada apenas como "Yerushalaim".

"A falta de uniformidade nas placas tem sido um problema para aqueles que falam línguas estrangeiras, tanto cidadãos como turistas", disse Yeshaayahu Ronen, do Departamento de Planejamento dos Transportes.

Motivações

Em entrevista ao site de notícias Ynet, o ministro dos Transportes israelense, Yisrael Katz, explicou algumas das razões da decisão.

"Alguns mapas palestinos continuam a se referir a cidades israelenses pelos nomes pré-1948", disse Katz ao site Ynet, se referindo a data de fundação de Israel.

"Não permitirei isso nas nossas placas. Esse governo, e certamente esse ministério, não permitirão que ninguém torne a judaica Jerusalém na palestina al-Quds", afirmou.

Segundo ele, as áreas ocupadas da Cisjordânia onde Israel exerce o controle civil permanecerão com as placas em árabe.

De acordo com o ministério, as mudanças serão graduais e nenhuma placa já existente será modificada, a não ser que precise de troca por defeito.

O plano do governo foi criticado por políticos árabe-israelenses.

"Katz está enganado se pensa que ao mudar algumas palavras, apagará a existência do povo árabe", disse o parlamentar Ahmad al-Tibi.

Israel tem mais de 1 milhão de cidadãos árabes, que representam 20% da população.

Havdalá

Neste Shabat tivemos a honra de receber nosso querido Rosh Moshe ben Yishai, ele nos trouxe palavras de reflexão e agradecimento.
" devemos ser Gratos por Hashem ter nos aceitado como seus filhos adotivos, Devemos agradecer por Hashem nos dar a vida, o pão etc..." Estas forão palavras de nosso Grade Rosh Moshe.

e logo apos a meditação tivemos a Benção da pequena sara, e logo apos tivemos a Havdalá.

shavuah tov

Shabat em Ponta Grossa


Neste shabat tivemos uma comemoração especial do aniversario da pequena Sara que está completando 2 anos de idade , a qual e filha
do Chaver Adilson e da Chavera Patricia.
OS dois vem de um casamento muito dificil de dar certo porem graças a Hashem deu tudo certinho,a patricia não era da Kehila antes de se casar,mas Graças a Hashem ELE a colocou em seus caminhos.

shavuah tov

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Restrição de calorias pode estender a vida de humanos


Ambos os macacos tem quase a mesma idade, mas o da esquerda, que é alimentado com uma dieta de baixas calorias, está envelhecendo graciosamente, já o da direita é frágil e move-se lentamente.

Pessoas que acreditavam que a restrição calórica não aumentava o tempo de vida dos primatas agora talvez tenham agora de exclamar “macacos me mordam”.

É claro que você não poderá viver para sempre como o Connor McLeod, do filme Highlander, mas poderá ganhar muitos anos a mais reduzindo em 30% sua ingestão de calorias.

Um estudo de 20 anos com macacos Rhesus que se alimentam com uma dieta de baixa caloria e nutritiva. Com isso, pesquisadores notaram que os macacos tinham menos doenças de idade do que seus co-relativos que usufruem de uma dieta normal. De acordo com Ricki Colman e Richard Weindruch, ambos do Centro de Pesquisa Nacional de Primatas de Wisconsin, foi revelado que os primatas com a dieta restrita possuíam menos encolhimento em áreas importantes do cérebro para tomar decisões e controlar os movimentos.

Os resultados mostraram que a restrição calórica ajuda na preservação do cérebro e no corpo do macaco, segundo Luigi Fontana, da universidade de Washington em St. Louis, e Serviço de Saúde Nacional Italiano, em Roma. A restrição calórica já foi mostrada no prolongamento do período de vida de camundongos e cachorros.

  • As descobertas terão ramificações na luta do envelhecimento e das doenças humanas. “Estou confiante que tudo que acontecerá em primatas servirá para os humanos”, diz Fontana. Desde que os dois grupos de macacos estão em uma dieta saudável, pessoas vão de uma dieta ocidental calórica para uma saudável. A dieta restritiva pode ser uma experiência com maiores benefícios de saúde do que aparece no estudo.

O estudo começou em 1989 com 30 macacos adultos machos. Em 1994, 30 fêmeas e mais 16 machos foram adicionados para aumentar a estatística. Os macacos tinham de sete a 14 anos quando começaram os estudos. Um Rhesus vive em média de 27 anos no cativeiro, e levou esse tempo para determinar se cortar calorias em 30% atrasa o envelhecimento e a morte.

Pumpin’ ItOwen, um macaco Rhesus de 29 anos de idade do Centro de Pesquisa Primata em Wisconsin, em Madison, controlou seu próprio reflexo enquanto levantava uma haltere de brinquedo. Owen é o macaco mais velho sobrevivente durante o estudo da dieta e envelhecimento dos primatas. Ele é parte de um grupo de controle, alimentado com uma dieta saudável sem restrição de calorias. Os macacos do grupo experimental são alimentados com uma dieta com 30% a menos de calorias.

Ao longo do estudo, os macacos com a dieta sem restrição de caloria tiveram três chances a mais de morrer de uma doença relacionada ao envelhecimento do que os outros macacos que comiam 30% a menos de calorias. Do início do estudo até agora, 21 dos 38 macacos do grupo de controle morreram, já os com as calorias restritas, o resultado foi de 14 a 38. Daqueles do grupo de controle, 14 morreram de causas relacionadas à idade, como câncer, doença do coração ou diabetes. Já os do grupo de calorias restritas, apenas cinco morreram de doenças relacionadas ao envelhecimento, e nenhum desenvolveu diabetes. O restante das mortes – sete dos de controle e nove dos de calorias restritas – foram de uma complicação de anestesia, inchaço gástrico, endometriose ou ferimentos.

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Ataque israelense contra Irã seria 'catástrofe', diz Sarkozy


ÁQUILA - O presidente francês, Nicolas Sarkozy, advertiu nesta quinta-feira, 9, que um "ataque unilateral" de Israel contra o Irã seria uma "catástrofe absoluta". A declaração, feita à imprensa durante a cúpula do G-8 na Itália, surge um dia depois das potências ocidentais darem uma "chance ao diálogo" com Teerã para resolver o impasse nuclear, informa a agência France Presse.

"Israel tem que saber que não está só, observar tudo com calma", acrescentou Sarkozy, ressaltando que se os iranianos se negarem a discutir seu programa nuclear, "haverá sanções". A punição divide o grupo de países que negocia com o Irã, formado pelos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU - Estados Unidos, Rússia, França, Reino Unido e China - e Alemanha.

Na terça-feira, o presidente dos EUA, Barack Obama, negou que Washington tenha dado a Israel sinal verde para atacar o Irã por conta de seu programa nuclear. No domingo, o vice-presidente Joe Biden havia declarado em entrevista à rede ABC que Israel é soberano para decidir o que melhor serve ao interesse israelense em relação ao Irã, um comentário interpretado por alguns como sinal verde para um ataque.

Os EUA veem o programa de enriquecimento nuclear de Teerã como um passo em direção à produção de armas atômicas, mas o governo iraniano insiste que a iniciativa se destina à produção de energia, com fins pacíficos. Israel tem dito que um Irã com armas nucleares seria um ameaça à existência do Estado israelense e não destaca a possibilidade de um ataque. O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, já afirmou que Israel deve ser varrido do mapa.

O Conselho de Segurança já aprovou sanções contra o Irã, pelo fato de o país ter se recusado a suspender o enriquecimento de urânio. Além dos EUA, Rússia, China, França, Alemanha e Reino Unido já convidaram Teerã para resolver as diferenças sobre o programa na mesa de negociações, mas nenhum país conseguiu avanço.

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Preço do pacote família do Windows 7 é divulgado por revenda na internet


Framingham - Pacote com 3 licenças do novo sistema operacional custará US$ 150, nos Estados Unidos, uma economia de US$ 210 sobre preço avulso.

O preço do "pacote família" do novo sistema operacional Windows 7 foi divulgado em sites de alguns revendedores de informática, nos Estados Unidos.

O pacote "Windows 7 Family Pack", que ainda não foi divulgado pela Microsoft, daria direito a três licenças do novo Windows 7 por 150 dólares, conforme anunciou a revenda Fadfusion.com, do Estado norte-americano do Missouri, na quarta-feira (8/7). O valor, que se aplica à versão Home Premium do Windows 7, representa uma economia de 210 dólares se comparado à atualização avulsa de três pacotes do novo sistema operacional.

Google invade mercado da Microsoft ao lançar sistema operacional


San Francisco, 8 jul (EFE).- O gigante da internet Google decidiu se aventurar em uma das poucas áreas que ainda não explorava, e anunciou o lançamento de um sistema operacional para netbooks que concorrerá diretamente com o onipresente Windows, da rival Microsoft.


O Google Chrome OS será uma extensão do Chrome, o navegador da companhia lançado há nove meses, e seus criadores esperam que esteja disponível na segunda metade do próximo ano.


Este sistema operacional de código aberto será pensado especialmente para navegar na internet e usar aplicações baseadas na rede, que muitos acreditam que acabará substituindo o modelo de software sob licença capitaneado pela Microsoft.


"É nossa tentativa de mostrar que é preciso reconsiderar como deveriam ser os sistemas operacionais", disseram Sundar Pichai e Linus Upson, responsável de gestão de produto e diretor de engenharia do Google, respectivamente, no blog corporativo da empresa.


A ideia é melhorar a experiência do usuário na internet, que é onde Google deseja que todos passem a maior parte do tempo, já que suas aplicações e serviços estão baseados na rede.


Apesar de o Chrome OS funcionar também em computadores de mesa, o sistema será especialmente criado para netbooks, portáteis de baixo custo que estão com a popularidade em alta.


Enquanto as vendas dos computadores de mesa caíram 23% no primeiro trimestre de 2009, segundo dados da iSuppli, a comercialização de netbooks subiu 10%, graças ao sucesso entre consumidores preocupados com o preço e porque querem, basicamente, um computador para ter acesso à internet.


A Microsoft certamente está muito consciente desta tendência, que interfere diretamente em suas vendas do Windows.


Aproximadamente 80% dos netbooks no mercado utilizam o Windows XP, uma versão mais antiga, barata e menos rentável para a Microsoft que o Vista.


Por isso, a empresa criou o Windows 7, um sistema operacional que vai rodar tanto em netbooks como em computadores de mesa.


O Chrome OS é, na realidade, a segunda incursão do Google na área dos sistemas operacionais.


A companhia já tinha lançado o Android, um sistema operacional para celulares que funciona também em netbooks e que já foi adotado por diversos fabricantes.


O Google reconhece que Chrome OS e Android se completam em alguns aspectos, mas insiste em que são sistemas independentes.


Além disso, afirma que a possibilidade de escolher entre os dois "vai impulsionar a inovação e beneficiará a todos, incluindo o Google".


Quem possivelmente sairá prejudicado desta nova investida é a Microsoft, que pode apenas observar o aumento do número de concorrentes do Windows.


Nos últimos anos, o Google lançou ainda diversas aplicações como o Google Docs, que concorre diretamente com alguns programas do Office. Estes programas são gratuitos, porque não são financiados com publicidade online.


Paralelamente, a Microsoft não poupa esforços para aumentar sua fatia entre os softwares baseados na rede e nos negócios da internet em geral.


O último capítulo desta luta foi o lançamento do "Bing", o novo buscador da Microsoft, apresentado no final de maio.


O gigante do software gastou US$ 100 milhões na promoção do "Bing", que recebeu boas críticas e conseguiu elevar levemente a fatia de mercado da Microsoft entre as ferramentas de busca.


No entanto, será complicado para a Microsoft ameaçar o domínio do Google nessa fatia de mercado. A popularidade da companhia é tão grande que em alguns países, seu nome é sinônimo do serviço que ela oferece em seu site.


Da mesma maneira, o Google encontrará dificuldades para popularizar seu sistema operacional em um setor no qual o Windows teve praticamente o monopólio durante 20 anos.


Apesar da crescente popularidade de sistemas de código aberto como o Linux, o Windows continua presente em quase 90% dos computadores de todo o mundo, e o Explorer é o navegador de 65% dos internautas, contra a pequena fatia de 1,8% conseguida pelo Chrome em seus nove meses de vida. EFE

quarta-feira, 8 de julho de 2009

Software traduz partitura para Braille


Professores do Núcleo de Comunicação Eletrônica da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) lançaram nesta quarta-feira (8/7) um software para a transcrição de partituras para a linguagem braille.

O programa faz parte de um projeto chamado Musibraille, que capacitará profissionais de educação musical para trabalhar com músicos e estudantes cegos. A ferramenta é a primeira em língua portuguesa a fazer a transcrição de partituras para braille.

Para divulgar o software Musibraille, serão realizadas oficinas de capacitação em cinco capitais brasileiras, sendo uma em cada região geográfica do país. O treinamento começa em Brasília, de 8 a 10 de julho, e segue para Recife (Pernambuco), de 4 a 7 de agosto. Em Belém (Pará), os eventos ocorrem de 2 a 5 de setembro, Rio de Janeiro (RJ), de 6 a 9 de outubro, e termina em Porto Alegre (Rio Grande do Sul), entre 10 e 13 de novembro.

Coreia do Norte é suspeita de atacar web nos EUA e Coreia do Sul



SEUL (Reuters) - Mais de duas dezenas de sites da Coreia do Sul e dos Estados Unidos, incluindo o da Casa Branca, foram atacados, e alguns deles desabilitados, por hackers possivelmente vinculados à Coreia do Norte, disse nesta quarta-feira a agência de inteligência sul-coreana.

O Serviço de Inteligência Nacional de Seul (NIS, na sigla em inglês) anunciou em comunicado que uma organização e possivelmente uma nação estavam por trás dos ataques à Coreia do Sul, um dos países mais conectados do mundo, e que havia sinais de "preparativos meticulosos" para o ataque.

O comunicado não oferecia outros detalhes, mas a mídia sul-coreana, incluindo a agência de notícias Yonhap, citou legisladores que teriam dito, depois de um briefing realizado por agentes do NIS, que a agência de inteligência acredita que "a Coreia do Norte ou elementos favoráveis ao norte" estavam por trás dos ataques.

"Programas malévolos" tomaram por alvo 26 sites dos EUA e da Coreia do Sul, entre os quais o da Casa Branca, disseram funcionários do NIS, de acordo com a Yonhap.

Os atacantes tentaram bloquear os sites ao sobrecarregar sua capacidade de dados, o que os tiraria de serviço, afirmou a agência.

Um ataque computadorizado atingiu os sites de diversas agências do governo norte-americano, entre as quais os departamentos do Tesouro e do Transporte, o serviço secreto e a Federal Trade Commission, informaram as autoridades, que se recusaram a comentar sobre a possível origem dos ataques.

O Departamento de Segurança Interna dos EUA anunciou ter notificado as agências federais quanto a medidas que poderiam ser tomadas para mitigar esses esforços.

"Nós vermos ataques à redes federais a cada dia, e as medidas regulares de segurança minimizaram o impacto sobre os sites federais", disse Amy Kudwa, porta-voz do Departamento de Segurança Interna.

Caso a Coreia do Norte seja responsável, isso representaria uma escalada nas tensões que já andam altas desde o teste nuclear de Pyongyang em maio, do disparo de sete mísseis balísticos este mês, e de repetidos insultos da imprensa oficial do país aos seus tradicionais inimigos em Seul e Washington.

Na empobrecida Coreia do Norte, quase ninguém tem acesso à Internet, mas fontes de inteligência em Seul afirmam que o país dispõe de uma unidade especializada em ataques computadorizados.

terça-feira, 7 de julho de 2009

Microsoft detecta falha no Explorer que permite invasão de hackers


WASHINGTON, EUA, 7 Jul 2009 (AFP) - A Microsoft alertou nesta terça-feira sobre uma nova falha de segurança detectada em seu navegar Internet Explorer, que poderá permitir o acesso de hackers ao computador.


A falha reside no módulo ActiveX Video Control, que permite ler conteúdos de áudio e vídeo nos sistemas operacionais Windows XP e Windows Server 2003.


"Um hacker capaz de explorar esta falha com sucesso poderá ter acesso aos mesmos direitos que o usuário principal", indica a Microsoft.


O grupo anunciou que está trabalhando no desenvolvimento de uma atualização para o Windows para remediar a falha do módulo ActiveX, e sugeriu que o mesmo, um componente principal do Windows Media Center, seja desativado por ora.


gc/cn

Novo notebook da HP tem tela multitouch


Modelo tablet Touchsmart TX2 traz caneta digital para usuário apontar, escrever ou desenhar na tela de 12”

A HP apresentou, em São Paulo, o notebook tablet TX2, com tela de 12,1 polegadas sensível a toque e caneta digital para manuseá-la. O display do notebook é móvel, o que permite posicioná-lo em diferentes angulações.

Com 3 GB de memória e disco rígido de 250 GB, o TX2 está equipado com processador dual core AMD Turion X2 e Windows Vista Home Premium.

O equipamento tem bluetooth, conexão wireless e gravador de DVD com tecnologia LightScribe – que escreve na superfície do disco – mas a webcam é VGA. Destaque ainda para um minicontrole remoto e um leitor biométrico de impressão digital. O tablet já está disponível pelo preço sugerido de quatro mil reais.

Vivo e Itaú formam parceria na área de cartão de crédito


Forma de pagamento está disponível em todo o país, exceto Minas Gerais.
No 1º ano, clientes terão 50% de desconto na anuidade do cartão.




A operadora de telefonia Vivo e a Itaucard anunciaram nesta terça-feira (7) uma parceria para a criação do cartão de crédito Vivo Itaucard, em que os clientes poderão receber benefícios em produtos e serviços de telefonia celular.

Com bandeira Mastercard, o cartão Vivo Itaúcard terá anuidades que variam de R$ 56 a R$ 360, com desconto de 50% para o titular e 100% para o cartão adicional na oferta de lançamento. O cartão Vivo Itaucard pode ser contratado em todo o Brasil, com exceção de Minas Gerais.

Para os clientes pré-pago, as recargas pagas com o cartão a partir de R$ 35 receberão bônus de igual valor para ligações Vivo-Vivo, com validade de 30 dias.

No Vivo pós-pago, além dos pontos acumulados no pagamento da conta de telefone celular, qualquer compra feita com o cartão Vivo Itaucard será convertida em pontos da Vivo. Cada R$ 1 em compras vale 5 pontos no programa.

Troca de pontos

Para poder trocar de aparelho, o cliente terá de acumular pelo menos 15 mil pontos. De acordo com os idealizadores do programa, quem gasta R$ 300 por mês no cartão, sem contar o pagamento da fatura, acumulará 18 mil pontos ao ano. Ao pagar a fatura, como já acontece no programa de pontos da Vivo, o cliente continuará a acumular 10 pontos para cada R$ 1 gasto.

O acordo entre a Vivo e a Itaucard também prevê a oferta da modalidade de pagamento por meio do celular. Segundo as empresas, o projeto está atualmente disponível em 60 estabelecimentos comerciais em São Paulo e no Rio de Janeiro, ainda como projeto piloto.

Israel pensa em ciberguerra contra o Irã


MAT HASHARON, Israel (Reuters) - No final da década dos anos 1990, um especialista em computação do Shin Bet, o serviço de segurança de Israel, conseguiu invadir o mainframe do depósito de combustível de Pi Glilot, ao norte de Tel Aviv.

O objetivo era conduzir um teste de rotina quanto à proteção do local, uma instalação estratégica. Mas a empreitada também revelou aos israelenses o potencial dessas infiltrações de alta tecnologia em termos de sabotagem.

"Depois de invadir o sistema de Pi Glilot, percebemos subitamente que, além do acesso a dados secretos, também seria possível provocar explosões deliberadas, programando alterações no percurso dos oleodutos", disse um veterano participante desse exercício do Shin Bet.

Assim teve início um projeto de guerra computadorizada que, uma década mais tarde, é visto por especialistas independentes como provável nova vanguarda dos esforços israelenses para derrotar as ambições nucleares do Irã, o maior inimigo do país.

Os atrativos de ataques virtuais se intensificaram, dizem fontes israelenses, devido à viabilidade baixa de ataques aéreos contra as instalações atômicas iranianas, distantes e fortificadas, e à relutância dos Estados Unidos em permitir outra guerra aberta no Oriente Médio.

"Chegamos à conclusão de que, para os nossos propósitos, um ponto de vulnerabilidade importante do Irã está em suas informações online", disse um membro recentemente aposentado do gabinete de segurança israelense. "E agimos de acordo com essa percepção."

Equipes de guerra computadorizada ocupam posições centrais nas agências de espionagem israelenses, que desfrutam de ampla experiência em técnicas de sabotagem tradicionais e operam sob pesado sigilo e censura oficiais.

Elas podem aproveitar a experiência de empresas comerciais israelenses que estão entre as líderes mundiais da tecnologia, e cujos funcionários são muitas vezes veteranos de unidades militares de elite que operam com inteligência computadorizada.

"A julgar pelos contatos que tenho com especialistas israelenses em vários fóruns internacionais, Israel pode definitivamente ser considerada como capaz de promover avançados ciberataques", disse Scott Borg, diretor da Unidade de Consequências Cibernéticas dos EUA, que aconselha diversas agências de Washington sobre segurança cibernética.

Obama nega que EUA deram aval para Israel atacar Irã

WASHINGTON - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, rejeitou com veemência a interpretação de que Washington teria dado a Israel sinal verde para atacar instalações nucleares iranianas. "Nós não podemos ditar aos outros países quais são suas prioridades em segurança. Mas também é verdade que a política dos EUA é a busca por uma solução diplomática (com relação ao programa nuclear iraniano)." Obama foi questionado sobre o assunto em entrevista concedida à emissora de televisão "CNN" durante sua estada em Moscou.



No fim de semana, com base no mesmo argumento de Obama, o vice-presidente dos EUA, Joe Biden, deu a entender que o governo norte-americano não interferiria caso Israel decidisse fazer uso da força militar para eliminar uma suposta ameaça nuclear do Irã. A declaração, feita à rede de televisão "ABC", foi interpretada por alguns setores como um sinal verde do governo dos EUA.



Israel considera o Irã como seu adversário mais perigoso. O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad - que no dia 12 conquistou uma disputada reeleição, com a oposição reclamando de fraudes generalizadas - defende que Israel seja "varrido do mapa do Oriente Médio".



Os EUA e Israel acusam o Irã de desenvolver em segredo um programa nuclear bélico. O governo iraniano nega, assegura que suas usinas atômicas têm fins estritamente pacíficos de geração de energia elétrica e já declarou em diversas ocasiões que não pretende interromper suas atividades nucleares.



Responsável por acompanhar a obediência às regras do Tratado de Não-Proliferação Nuclear (TNP) por parte dos signatários do acordo, a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), braço da Organização das Nações Unidas (ONU), considera o programa nuclear civil do Irã dentro da legalidade. Com informações da Dow Jones.

segunda-feira, 6 de julho de 2009

Bíblia mais antiga volta a ser reunida online


LONDRES (Reuters) - As partes sobreviventes da mais antiga Bíblia do mundo serão reunidas online na segunda-feira, o que gera excitação entre os estudiosos bíblicos que continuam tentando desvendar seus mistérios.


O Codex Sinaiticus foi manuscrito por quatro escribas gregos em couro animal, um material conhecido como velino, na metade do século 4, mais ou menos no período em que o imperador romano Constantino, o Grande, adotou o cristianismo como religião oficial do Estado.


Nem todo o documento sobreviveu aos estragos do tempo, mas as páginas que o fizeram incluem todo o Novo Testamento e a cópia sobrevivente mais antiga dos Evangelhos escritos em diferentes momentos depois da morte de Cristo pelos quatro evangelistas: Mateus, Marcos, Lucas e João.


As 800 páginas e fragmentos que restam da Bíblia --a qual originalmente tinha 1,4 mil páginas-- contêm igualmente uma cópia do Velho Testamento. A outra metade se perdeu.


"O Codex Sinaiticus é um dos mais antigos tesouros escritos do mundo", disse Scot McKendrick, diretor de manuscritos ocidentais na British Library.


"Esse manuscrito de 1.600 anos de idade oferece um vislumbre sobre o desenvolvimento do cristianismo em seus primeiros anos e provas em primeira mão de como o texto da Bíblia foi transmitido de geração em geração", disse.


Os textos incluem numerosas revisões, acréscimos e correções realizados ao longo de sua evolução.


"O Codex é provavelmente o maior livro encadernado a ter sobrevivido", afirmou McKendrick, informando que cada página tem 40 centímetros de altura por 35 de largura.


"Em termos críticos, ele marca o claro triunfo dos códices encadernados sobre os rolos (de papiro) --um importante marco para determinar a maneira pela qual a Bíblia cristã veio a se transformar em texto sagrado", acrescentou.


Os textos são uma compilação de seções detidas pela British Library, de Londres; pelo mosteiro de Santa Catarina do Sinai, no Egito; pela Biblioteca Nacional da Rússia e pela biblioteca da Universidade de Leipzig, na Alemanha.

EUA não impedirão Israel de se defender do Irã, diz vice-presidente


O vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse neste domingo que o governo americano não vai deter Israel caso os israelenses decidam pela ação militar para acabar com a ameaça nuclear do Irã.

"Israel pode tomar as decisões sozinha, é uma nação soberana", disse Biden em entrevista ao canal americano de televisão ABC.

"Eles têm o direito de fazer isto, qualquer nação soberana tem este direito. Mas não há pressão de qualquer nação que vai alterar nosso comportamento, nosso procedimento", acrescentou.

O apresentador do programa This Week, da ABC, George Stephanopoulos, perguntou a Biden se os Estados Unidos iriam ficar no caminho se os Israelenses decidissem lançar um ataque contra as instalações nucleares iranianas, Biden afirmou que Israel, assim como os Estados Unidos, tem o direito de "determinar o que for de seu interesse".

Biden também afirmou que a oferta de diálogo com o Irã, feita pelo presidente Barack Obama, continua de pé.

O porta-voz da Casa Branca, Tommy Vietor, afirmou que Biden não deu a entender nenhuma mudança no comportamento em relação ao Irã ou a Israel.

"O vice-presidente se recusou a tecer hipóteses e deixou claro que nossa política não mudou", teria dito o porta-voz segundo a agência de notícias Associated Press.

Obama deu ao Irã um prazo até o final do ano para uma negociação a respeito de seu programa nuclear, que o Irã insiste ser apenas com fins pacíficos, para obtenção de energia.

O primeiro-ministro israelense Binyamin Netanyahu deu indicações de que Israel iria tomar as decisões sozinho se o Irã não demonstrasse boa vontade para negociar.

domingo, 5 de julho de 2009

O Vaticano acredita ter encontrado, na segunda maior basílica de Roma, os restos mortais do apóstolo Paulo, martirizado no século I



"Bento XVI anunciou no domingo 28 uma descoberta que lança luz sobre os primeiros anos da Igreja Católica". Amostras retiradas da ossada existente numa tumba no subsolo da segunda maior basílica de Roma foram submetidas a testes de datação, e as conclusões são de que se trata dos restos de uma pessoa que viveu entre os séculos I e II. Elas "parecem confirmar a unânime e incontestável tradição de que são os restos mortais do apóstolo Paulo", festejou o papa. A relevância da descoberta não está em fornecer evidências materiais sobre o homem que expandiu o cristianismo para além das fronteiras estreitas de uma seita judaica da periferia do Império Romano. Não há necessidade disso. A vida e a obra do Apóstolo dos Gentios são as mais bem documentadas entre os primeiros santos do cristianismo. O valor religioso do exame científico está em atestar a consistência da tradição católica e reforçar a Basílica de São Paulo Fora dos Muros como um local de veneração. No século IV, o imperador Constantino mandou erguer a igreja sobre um antigo cemitério romano, do lado externo das muralhas que protegiam a cidade dos bárbaros, exatamente porque o lugar era conhecido como o do túmulo de São Paulo.

Não foi a única novidade sobre o santo. No mesmo domingo, foi revelada a mais antiga imagem de São Paulo, um afresco do século IV encontrado durante as obras de restauração das catacumbas de Santa Tecla, a alguns quarteirões de distância da basílica. A pintura foi descoberta no teto de um pequeno aposento que esteve soterrado por séculos. A identificação do apóstolo foi imediata porque coincide com as características físicas descritas em textos dos primeiros cristãos, como a barba escura e fina na ponta, a calvície, o nariz grande e os olhos expressivos. Um afresco de São Pedro também foi encontrado, mas em muito pior estado de conservação.

Segundo a tradição, a Basílica de São Pedro, no Vaticano, foi erguida sobre o túmulo do primeiro papa. Essa crença foi posta à prova por arqueólogos que exploraram um túmulo existente no subsolo da construção. Submetido a testes de datação, o conteúdo revelou os restos de alguém que tinha entre 60 e 70 anos e viveu no século I. Em 1968, o papa Paulo VI anunciou com estardalhaço que se tratava, sem dúvida, dos restos de São Pedro. Paulo e Pedro foram contemporâneos e ambos morreram como mártires da Igreja. Acredita-se que São Pedro tenha sido crucificado (de cabeça para baixo, segundo a tradição) no ano 64, por ordem do imperador Nero. Graças à cidadania romana, São Paulo escapou da cruz, para ser decapitado em algum momento entre os anos 65 e 67. Reza a tradição que o corpo e a cabeça do santo foram sepultados em locais diferentes – a cabeça estaria na Basílica de São João de Latrão, também em Roma.

Em 2002, ainda sob João Paulo II, arqueólogos iniciaram a escavação do túmulo sob a Basílica de São Paulo, onde descobriram uma urna e uma placa com a inscrição "Paulo Apóstolo Mártir". Eles fizeram um minúsculo furo numa das laterais de mármore e inseriram uma pequena sonda, que recolheu amostras da ossada que está lá dentro. O material extraído foi submetido ao teste de carbono 14, técnica utilizada para calcular a idade de materiais antigos. Junto aos restos mortais foram encontrados também alguns grãos de incenso e dois pedaços de tecido de linho, um de cor púrpura com bordados de ouro e outro azul – ambos identificados como peças luxuosas, o que reforça a suposição da existência de ricos entre os primeiros cristãos.


São Paulo era um judeu nascido entre os anos 4 e 8, possivelmente em Tarso, então uma grande cidade grega na rota entre a Europa e a Ásia. Seus pais eram escravos libertos, mas ricos o suficiente para mandar o filho estudar com um grande rabino em Jerusalém. Adulto, ele se tornou um perseguidor implacável da seita cristã – ainda que não esteja claro por que agia assim. Ele próprio deixou relatos sobre sua conversão, ocorrida no caminho para Damasco, depois de uma visão. Após se converter, Paulo dedica-se, com enorme sucesso, à tarefa de expandir a fé pelo Império Romano, especialmente por seu coração, Roma.

Ainda mais importante, foi ele quem formulou a doutrina de maneira teológica e separou o cristianismo do judaísmo. Para São Paulo, os pagãos não precisavam submeter-se aos rituais judaicos, como a circuncisão e as regras dietéticas, pois bastavam o batismo e a fé em Cristo. "Paulo deu ao cristianismo um caráter universal", diz o teólogo Geraldo Hackmann, o único brasileiro na Comissão Teológica Internacional do Vaticano. A influência de São Paulo sobre a cristandade pode ser medida numericamente. Dos 27 livros do Novo Testamento, treze são atribuídos ao apóstolo. Desses, sete são considerados realmente autênticos, e os demais, escritos em seu nome por seguidores. Quase metade do livro dos Atos dos Apóstolos, escrito pelo evangelista Lucas, relata as viagens evangelizadoras de Paulo. As descobertas envolvendo seu túmulo reforçam sua presença na tradição cristã.


é importante lembrar que não apoiamos a igreja católica